Ads

O Halloween da fofura

Comenta aqui!
Pra quem não tá lembrado (ou ainda não acessou as redes sociais hoje), hoje é Dia das Bruxas!

Eu confesso que ontem eu tava tão ferrada de trabalho que não consegui parar pra pensar num look próprio para a data. Ou seja: a tarefa de montar alguma coisa ficou pra hoje mesmo, às 7:30 da matina, quando eu saí do banho.

O pior é que esse dia das bruxas tinha grau de dificuldade 5 na dança do créu. A questão, minha cara leitora é que este dia das trevas, esse ano, caiu justamente na sexta-feira. Qual o problema? Eu tenho tentado ser uma boa baiana e usar branco nas sextas-feiras para atrair coisas positivas pra vida (já falei aqui e repito: mal não faz e ainda dá uma leveza pra esse dia maravilhoso que é uma beleza).

Pois é, minha gente. No dia do preto, olha eu querendo vestir branco.

Porque fazer uma bruxa seria tão mais fácil. Vestidinho preto, make preto, pele bem branca e tá pronto (aliás, cês viram esses vídeos maravilindos do Enjoei com as enjubloggers mostrando suas bruxas?). Mas eu resolvi me manter firme na sexta-feira puxada no branco mesmo.

Bem, além de tudo isso, a pessoa não tá podendo comprar, né? Tinha que ser com o que tinha em casa. Então, lá vamos nós pro armário do quarto de hóspedes, mais precisamente na sacola de adereços de Carnaval velhos, pra ver se surge alguma ideia. Fucei, fucei, fucei e achei umas orelhinhas de coelhinha de renda que são puro charme (quem segue o @mourajo no Instagram viu!). Mas, como elas são pretinhas, descartei. Fucei um tiquinho mais e lá estava ela, a solução do meu Halloween baiano: a tiara de princesa (quem lembra dela?). E, assim, como num passe de mágica, uma fantasia nasceu.


Eu sei, fugi total do tema tenebroso do dia, mas quem manda no nosso Halloween se não é a gente mesmo? Encarnei a princesa modernete com direito a blusinha cropped e óculos escuros - livremente inspirado naquele filme Diários de uma Princesa, quem lembra?


A saiona veio diretamente da minha festa de 15 anos, há 15 anos atrás (ela já apareceu lááááá no início do blog). E bastou dar uma passadinha que ela ficou como nova.


O toque final foi uma make suuuuper leve, super princesa.

Bem, esse foi o meu Dia das Bruxas cheio de fofura! Espero que o de vocês, assustador ou fofo, seja bem animado.

Beijo e bom finde pra todo mundo!

Créditos:

Saia: da festa de 15 anos
Blusinha: Topshop
Óculos: ZeroUV
Tiara: 25 de março


Mix

Comenta aqui!
Hoje eu acordei com uma saudaaaaaaade de misturar estampas!

Como todos os dias, ao longo desses últimos dois meses, eu abri o armário e procurei por alguma peça diferente, uma dessas que eu não uso há algum tempo, mas que acenda uma faísca de criatividade que dará origem a um novo look (baixou a poetisa).

A verdade é que, durante esse tempo sem comprar, o meu ponto de partida para montar um look diferente é sempre começar com uma peça que não uso há muito tempo. Isso porque, se eu não uso há muito tempo, provavelmente eu não lembro como foi que eu usei a tal peça pela última vez, o que me deixa livre pra pensar em novos jeitos de usá-la. Deu pra entender? É simples: a ideia é não ficar com a imagem fixa daquele jeito específico de usar a coisa e permitir que a criatividade faça apareça.

Chega de elocubrações. Tudo isso foi pra dizer que escolhi essa lindeza fofa de blusinha de poá como ponto de partida de hoje.


Como a ideia era misturar estampas, escolhi a calça floral de copos de leite da Isolda, pra fazer a combinação. Achei que ficou coerente e super equilibrado. Coerente porque tudo respeitou a mesma paleta de cores. Equilibrado porque a estampa maxi da calça fez o contraponto perfeito com a estampa minimalista da blusinha.


Terminei o look com um saltão nos pés e brincão nas oreba, ambos pretos, ambos chiques, ambos charmosos.

Pronto! Bolinha com florzinha pra inspirar!


Créditos de hoje:

Calça Isolda
Blusa: B.Luxo
Sapato: C&A
Brincos: Pick'mix

Post patrocinado: Mega Bazzar da mi.li.ca. Store. Inshalá!

Primeiro e antes de mais nada, eu queria agradecer as toneladas de carinho que tenho recebido por aqui (por "aqui" entenda-se no Instagram @mourajo e no Um ano sem Zara no Facebook) desde sábado. Se esse momento da minha vida já seria especial por conta própria, vocês conseguiram multiplicar essa sensação umas 10 vezes. Muito obrigada mesmo!

Bem, eu andei tanto de branco nos últimos dias, que achei por bem variar um pouco e ir pro extremo oposto.

Como ontem eu não tava com muita paciência de me arrumar (segunda-feira pós ressaca do casório), resolvi apostar no combo mais básico de todos: calça jeans e camiseta. Mas cês já devem saber, a essa altura do campeonato, que as coisas nunca param por aí.

Pra tirar a monotonia do combo básico, escolhi uma blusinha que já fez muito sucesso por aqui na nossa sessão Básicos nada básicos by mi.li.ca. (quem lembra?).  Ela é molinha, pretinha e com uma estampa super charmosa de mini coroas douradinhas.

Abre parêntesis.

Quem sempre gostou dos post da mi.li.ca. aqui no blog, agora é a oportunidade de arrematar a sua blusinha charmosa por um precinho mais do que camarada. Tá rolando um mega bazzar mi.li.ca. Store com as peças mais charmosas da coleção com descontos mais charmosos ainda. Dá uma olhadinha aqui ó!

Fecha parêntesis.

Bem. Dourado tem dessas coisas, né? Não importa o quão básica você esteja, basta tacar um pouquinho de dourado que a coisa muda de figura e o look ganha todo um outro mais glamour.


Mas, pra que parar no toquinho de dourado se dá pra pesar mais a mão? Confesso que me empolguei com a história e adicionei, não um, mas DOIS colares dourados. Inshalá! Um look pra deixar Khadija (todo mundo lembra do Clone ou eu tô entregando a minha idade?) babando de inveja.


Então, a dica de hoje é essa. Tá com preguiça pra se vestir? Jeans + camiseta + muito ouro (e nem precisa ser ouro mesmo, pode ser só dourado mesmo :-)

Créditos:

Camiseta: mi.li.ca. Store (tá na liqui!!!!)
Calça: Dzarm
Sapato: C&A
Colares: Pick'n Mix
Óculos: Ray Ban

O dia do primeiro "sim"

Quando eu acordei no sábado de manhã, ele parecia um dia nublado como qualquer outro.

Os meus pais estavam lá em casa e eu botei um short e um chinelo e fui com eles tomar café na padaria da esquina. Comi um misto e tomei um suco. A gente bateu papo, riu e voltou à pé pra casa.

Eram 9:30 quando eu fui tomar um banho. E 10:30 quando acabei de me arrumar. Uma hora certinho. O mesmo tempo que eu levo pra me arrumar todos os dias pra ir pro trabalho.

A maquiagem era a mais simples do mundo. Nada de olho de gato, nem batom vermelho. O cabelo preso fui eu que fiz. Aquele mesmo que eu sempre faço. Em 15 minutos, na frente do espelho do banheiro, ele tava pronto.

A roupa nem era nova. Falei que só ia gastar no vestido de noiva e sábado ainda não era o dia dele. Então, olhei pra dentro do armário e procurei por coisas brancas. Queria que fosse fresco, descontraído e nada clássico. Encontrei, no meu macacão branquinho, a conjunção de todos esses fatores.


Eu não tava me sentindo "noiva". Pra mim, o cartório era só uma formalidade que a gente tinha que cumprir. Então, já que não era dia de noiva, resolvi brincar com os acessórios. Pensa num brinco que você jamais veria numa noiva. Pois é.


Sim, é uam lagosta. Com uma concha. Como o macacão tomara que caia era super minimalista. Eu queria um brincão bem diferente. Encontrei, dentro de um saquinho no armário, esse da Dolores Iguacel (quem conhece ela? estou in love com os acessórios da moça) que eu ganhei e nunca usei. E, já que a roupa não era nova, ele acabou virando o meu "something new" do dia.

No fim das contas, o brinco acabou sendo meu elemento preferido do look todo, especialmente pelo fato dele me lembrar que, em breve, logo ali em fevereiro, a gente vai estar vivendo a festa oficial em clima praiano lá em Búzios (sim, vai ser lá! já falei por aqui?).

Bem, voltemos ao cartório. Saí de casa às 10:40. Chegamos com 15 minutinhos de antecedência e ficamos observando outros casais entrarem na salinha com suas famílias e saírem ao som de palmas animadas. A gente estava com a nossa: mães, pai, padrasto, irmãos (não todos, mas bem representados).

Entramos às 11:10. A juiza na nossa frente já estava com todos os documentos a postos. A coisa toda durou 5 minutos, contando com as assinaturas. Falando assim, tem coisa mais simples do que isso? Entrar, dizer sim, assinar e ir embora.

Quando eu acordei de manhã, eu achei que era só isso mesmo. Mas dizer sim pra ele e assinar meu nome num papel, dentro de uma sala sem graça, num cartório sem graça, foi das coisas mais emocionantes da minha vida.

O bom é que a emoção se estendeu durante toda a tarde num almoço simples, porém animado e cheio de amigos e amor.

E eu passei o resto do fim de semana querendo dar fast forward no tempo pra fevereiro chegar logo e a gente viver tudo isso de novo. A boa notícia é que, até lá, a gente pode celebrar o amor todos os dias. :-)


Créditos:

Macacão: Andrea Marques
Brincos: Dolores Iguacel
Sapatos: Zara

Uma pólo branca (e o motivo especial dessa sexta-feira de branco)

De uns tempos pra cá, tenho usado branco na sexta-feira com muito gosto. Talvez seja saudade da Bahia, talvez seja a vontade de atrair energias boas (e se blindar das ruins), ou talvez, seja só o verão virando a esquina e o branco.

Mas, hoje, acho que a sexta branca tem um significado especial: amanhã é um dia muito especial. O casamento com festa, vestido-de-noiva, champagne e tudo mais é só em fevereiro, mas amanhã é dia de assinar a papelada.

Pois é, minha gente, amanhã viro uma moça comprometida pela lei. Ó que lindo.

Então, acho que o branquinho de hoje é quase uma preparação mental para esse momento amanhã. Por isso ele é tão especial.

Então vamos a ele.


Saia branca e pólinho branca.

A saia, vocês já tão carecas de conhecer, né? Então, vamos à pólo. Eu confesso que não uso muito (já usei mais, lá no início do blog), mas adoro a ideia de uma pólo legal. É confortável, tem esse clima meio esportivo, mas transmite uma elegância tão casual que me faz suspirar.

A verdade é que muita gente torce o nariz pras pobres polinhos simplesmente porque usá-las de um jeito que fuja do clichê não é tão fácil. Pensa aí, a primeira coisa que vem à cabeça quando você pensa em camisas pólo. Meninas jogando tênis? Ou mamães americanas com bermudões cáqui indo buscar os filhos na escola?

Eu, particularmente, sempre tive uma queda pelo estilinho tenista. Acho a coisa mais chique do mundo. Mas a verdade é que a pólo pode ir muito além do óbvio.

Eu sou particularmente apaixonada por essa campanha que a Lacoste fez, que mostra a famosa camisa em duas lindas sobreposições com looks que são puro glamour.


Ok. O meu look é bem mais modesto. E eu nem tô sugerindo que ninguém vá pra baile de gala com camisa pólo por cima do vestido. Mas nada impede que a gente comece a pensar um pouquinho diferente sobre essa peça clássica.

Essa foi a minha tentativa de hoje. Conseguir montar um look com a minha polinho branca (presente dos meus pais no Natal do ano passado - ambos são super partidários da Lacoste). Ela é bacana porque já tem uma bossinha: mais botões (que permitem um decote maior e menos careta) e um detalhe fofo em amarelo.

A minha proposta foi usar a pólo de um jeito super feminino: com saia evasé e cintura super marcada.


Por fim, o salto branco e os brincos grandões fora as cerejas do bolo pra dar ainda mais charme e feminilidade.

E assim, bem leves, a gente termina essa semana. Amanhã é sábado e tem post cheio de amor (e cheio de branco de novo).

Bom fim de semana procês!

Créditos:

Saia: Zara
Camisa pólo: Lacoste
Sapato: Zara
Brincos: Topshop


Vinho tinto

Para os que leram o post de ontem e estão preocupados com a loucura meteorológica em São Paulo, informo que o tempo hoje amanheceu com solzinho e o tempo ficou ameno durante o dia (juro que às vezes eu acho que esse é um site de previsão do tempo).

Com a luz entrando sorrateira pela janela de manhã, me senti autorizada a apostar num look mais fresquinho. Mas, veja bem, nem lá nem cá. Depois do tapa de inverno que tomei ontem, não dava pra fingir que hoje já era verão. Há limites para esta esquizofrenia, senão a minha cabeça dá um tilte (é assim que escreve tilte?).

Bem, ousei apostar numa blusinha mais leve e com uma discreta transparência, afinal, infelizmente, o fim de semana ainda não está entre nós e eu tive que trabalhar. E até os bracinhos serelepes resolveram ficar de fora.

Porém, mesmo com bracinhos de fora, mantive o look em tons mais fechado, quase invernais, em forma de protesto à essas maluquices que São Pedro anda aprontando com a gente. Como o look começou pela calça, acabei mantendo tudo no mesmo clima.


Um look praticamente bêbado de tanto vinho tinto (eu sei, foi péssimo, mas é quinta, tô cansada, tenham compaixão das minhas piadas). Até o sapato e o batom entraram na onda.

As florzinhas deram uma quebrada, mas não fugiram muito da paleta de cores.


A grande responsável por trazer um pouco mais de leveza pro look mais escuro foi a bolsa bege. Além de ter um tom mais claro que deu uma quebrada, ela tem essa bordinha recortadinha que dá um jeito todo brincalhão pra história.


E amanhã é sextaaaaaa! E esse final de semana tem post lindeza com novidades sobre o casório. Aguardemos :-)

Créditos:

Calça: Andrea Marques
Blusa: Zara
Bolsa: Asos
Sapato: Maria Bonita Extra
Batom: Diva da MAC

São Paulo, uma eterna surpresa meteorológica

São quase 6 anos morando em São Paulo. Nos primeiros dois anos eu confesso que sofri. Tadinha da baiana/carioca que saía de casa de manhã toda desavisada, crente que o sol entrando pela janela às 8:00 era garantia de dia quentinho ao meio dia.

Mas eu fui aprendendo. Apanhando de São Pedro, mas aprendendo sempre. Aperfeiçoei a técnica da cebola, com looks charmosinhos compostos por diversas camadas (do verão ao pólo norte em apenas 5 passos simples). E viver em São Paulo sem morrer de frio ou calor (ou os dois num só dia) foi ficando mais fácil.

Seis anos de São Paulo. Praticamente uma "mano". E hoje, venho aqui humildemente declarar: Sabe de nada, inocente.

Depois de seis anos nessa cidade, achava que não ia mais me surpreender com o tempo por aqui. Mas veja bem, cara leitora. Lembra do look que eu postei aqui semana passada? Aquele do dia do calor que fritava ovo no asfalto? Tá aqui ó, só pra quem não tá visualizando na memória.

Pois é. Tava quente. Pra dedéu.

Corta. Menos de uma semana depois. Tá frio. F-R-I-O. Friiiiiiiiiiiiiio.

Pra você que não tá aqui na cidade ouvindo o vento uivar pela janela ter uma ideia, fez 14º por aqui hoje. E 14º pede look quentinho.


Comecei com o tricôzinho gostoso que tem carinha de alguma coisa que uma vovó fez. Depois fui pra calça skinny camelo e super coringa. E juntei os dois com o trench azul marinho pra ficar mais quentinha.


Daí foi só complementar com os acessórios: o turbantinho de couro com nozinho na frente (pra dar um charme num look tão certinho) e a bolsa redonda mais amada.

Bem. Por hoje é isso. Amanhã, quem sabe? Pode ser que esteja fazendo 40º. Vai saber. É outubro em São Paulo. Tudo é possível. ;-)

Créditos:

Calça: H&M
Tricô: Topshop
Trenchcoat: Maria Bonita Extra
Turbante: Urban Outfitters
Bolsa: Marc by Marc Jacobs
Sapato: Zara